ESTUDO 13: As Duas Casas

ESTUDO 13: As Duas Casas
por

Nesse texto, Jesus coloca dois fatores como primordiais para que alguém possa ser comparado a uma casa construída sobre a rocha: OUVIR e PRATICAR a Sua Palavra. Vamos refletir sobre a importância de estarmos conectados com Deus (ouvindo a Sua voz) e de sermos guiados por Ele (Praticando o que Ele manda).

PARTE A: CONECTADOS COM DEUS

Você crê que Deus é pessoal e fala conosco? Então, o que Ele falou com você durante essa semana, ou esse mês? Em geral, a questão não é se Deus falou ou não, é se nós o ouvimos ou não. Por isso, várias vezes Jesus disse a frase “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça”. Podemos fazer uma comparação com a Internet. Imagine que a voz de Deus fosse representada por um site, mas a maioria das pessoas está conectada a outros sites. Tem muita gente conectada com o mundo, mas com o sinal fraco para Deus.

A história da conversa entre Eva e a serpente (Gn 3:1-6) ilustra a ideia de muitos ruídos e vozes que podem abafar a voz de Deus. Podemos perceber que Eva escuta 3 vozes diferentes:

          1ª A voz de Deus – Eva lembra claramente das palavras que Deus lhe falou. Deus falava diretamente com ela no jardim, mas em outros momentos Eva podia ouvir a Sua voz ao recordar das Suas palavras. Algo semelhante ocorre conosco: A comunhão com Deus abre caminho para Ele falar diretamente conosco, algo que deve ser natural para quem anda com o Senhor, mas também cria um depósito interno, de onde o Espírito Santo algumas vezes saca tesouros e traz à nossa memória. Recordamos de mensagens que marcaram, de letras de canções especiais, de textos bíblicos e de momentos em que Deus falou conosco, e assim Podemos, mais uma vez, ouvir a Sua voz.

          2ª A voz da serpente – Essa voz distorce ou contraria a Palavra de Deus. Ela pode representar a voz do mundo, da cultura moderna (dizendo que coisas tidas por Deus como pecado são normais), voz de amigos que dão conselhos ruins, ou pode ainda ser a voz do próprio satanás. Eva não discerniu e continuou conectada com o inimigo.

          3ª A voz interna – que vem de um coração enganoso – Essa voz dizia a Eva que o fruto era bom. A voz do nosso coração (o coração do homem é enganoso). Muitas vezes nosso coração quer nos levar para longe do Senhor, para o caminho da desobediência. Vem o desejo de mentir, de enganar, de trair, de se vingar entre outros, a e voz interna diz algo como: todos fazem isso.

Tem gente ouvindo a voz interior falando do passado, gritando e trazendo culpa. Deus está falando: Filho, eu amo você, eu te perdoo, quero você perto de mim. Mas o barulho da culpa pode abafar a voz de Deus. Tem gente ouvindo gritos internos a respeito do futuro, gerando ansiedade:” – o que você vai fazer? E agora? Como vai ser?”. Esse barulho também pode abafar a voz de Deus, que diz para não andarmos ansiosos com coisa alguma, pois Ele cuida de nós.

Eva ouvia muitas vozes – Nós também estamos sujeitos ao mesmo perigo. Tem gente confusa e perdida com muito barulho no espírito, o que gera espírito conturbado.

Eva deu atenção e seguiu a voz errada – comeu o fruto e perdeu ali a conexão com Deus. Adão foi pelo mesmo caminho.
O Novo encontro com Deus foi diferente dos anteriores. Ao invés da comunhão costumeira, Deus pergunta: Onde você está? Creio que Deus tem feito essa mesma pergunta para muitos nos dias atuais: Cadê você? Porque não tem andado comigo? Com quem vôcê tem se conectado? É Hora de silenciarmos as vozes que querem nos afastar de Deus (a voz do mundo, de satanás, ou mesmo a voz interna). Quais são as coisas que abafam a voz de Deus em sua vida? Excesso de trabalho? Amizades ruins? Excesso de redes sociais? Está na hora de rever suas conexões.

Quais são as coisas que aumentam a sua conexão com Deus? Momento de devocional? Alguns bons amigos? Leitura da Palavra? Momentos de oração? Participação dos cultos? Grupos de comunhão? Valorize essas coisas que fortalecem a sua comunhão com Deus, colocando-as sempre como prioridade.

PARTE B: GUIADOS POR DEUS

Voltando ao texto de Mateus 7, vamos refletir um pouco mais nos versos 21 a 23. Quando pensamos nesse versículo, muitos imaginam pessoas hipócritas ouvindo as duras palavras de Jesus. Ao ler esse trecho, vejo também pessoas surpresas, enganadas, que achavam que estava tudo certo… (Oro, evangelizo, participo de ministérios) – pessoas que se confundiram, se atrapalharam. Pessoas que seguiam uma religião, acreditam que são cristãos, mas não captaram a essência do Reino de Deus. Pessoas que acreditam que firmaram uma casa espiritual sobre a rocha, mas que verão com surpresa a sua casa desabando sobre a areia durante esse encontro com Jesus. Entrará nesse Reino quem fizer a vontade de meu Pai, é o que Jesus ensina.

Vejamos alguns exemplos de quanta gente espiritualmente atrapalhada e confusa:

– 86.8% Declaram ser cristãos (64,6% católicos + 22,2% evangélicos) –  mas o país vive a podridão moral que todos conhecemos –  Um dia haverá a colheita final e o Senhor separará o joio do trigo.

– Problemas nas igrejas – Birra entre irmãos, disputa de poder (cargos), divórcios por motivos fúteis – há muitas pessoas que talvez tenham tido uma experiência com Deus, mas ainda não fazem a vontade do Pai; vivem padrões do mundo, não os do Reino de Deus.

– Testemunho negativos de muitos “crentes” diante da sociedade

Por que me chamais Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu digo? (Lc 6:46). Essa é uma reflexão sobre o Senhorio de Jesus.

Algumas perguntas para evitar confusão:

1 – Você já entregou a vida a Jesus? Antes de responder, reflita a respeito do verbo entregar.

O que temos que entregar? TUDO. Inclusive a própria vida a ele. Nem todos somos chamados para morrer por Ele, mas todos somos chamados para viver para Ele.

Entregar a vida a Jesus significa que ela não é mais sua. A mensagem central do Evangelho do Reino de Deus é o arrependimento. Arrependimento de querer viver independente de Deus, como dono do próprio nariz. Ele já é Senhor da sua vida? Quem manda é Ele? Quem está na direção?

2 – Você é capaz de renunciar?

– O chamado de Jesus exige renúncia (Leia Mt 16.24). Renunciar a própria vontade! Você é capaz de renunciar sua zona de conforto, os desejos do seu coração, ou algo que é muito importante para você?

– Essa pergunta (você é capaz de renunciar?) não deve ser feita no caminho, mas na porta de entrada do Reino de Deus. Se você já entregou sua vida a Ele, você já renunciou a essas coisas. Então, a pergunta correta é: VOCÊ JÁ RENUNCIOU?

– Quem quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á (Mt 16.25) – você já perdeu a sua vida por amor de Jesus.

– O pecado criou uma barreira entre nós e Deus. Jesus abre um novo caminho, o Único caminho (Hb 10:19-20). Muitos agem como se esse caminho fosse largo e espaçoso. Entretanto, o próprio Jesus esclarece que a porta é estreita e o caminho apertado.

3 – Uma pergunta final: O que é o Reino de Deus? Uma definição simples e profunda é a seguinte: O Reino de Deus é o Governo de Deus. Muitos querem Jesus como um consultor. Você já é governado, guiado, dirigido por Deus? Se for, você já faz parte desse Reino. Esse Reino é semelhante a um tesouro inigualável, tão precioso que vale a pena renunciar a tudo para possui-lo.

compartilhar

Artigos Recomendados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *