O Confinamento de José

O Confinamento de José

Em meia às incertezas do presente tempo, quero recorrer à fascinante história de José do Egito para trazer algum consolo e alento aos irmãos e amigos queridos.

José do Egito era conhecido por seus irmãos como o Sonhador, pois tinha grandes sonhos vindos de Deus para sua vida. Apesar disso, ele teve que enfrentar gigantescos obstáculos ao longo de sua jornada. José inesperadamente se tornou escravo e depois, para piorar, foi aprisionado no cárcere do rei. Seus sonhos pareciam cada vez mais distantes da realidade.

Estamos enfrentando uma situação também inesperada, de luta contra uma pandemia e de confinamento em nossas casas. Viagens e eventos desmarcados, insegurança em relação às finanças, à saúde, à família. Contudo, não podemos deixar de sonhar.

O SENHOR ESTÁ CONOSCO – A Palavra de Deus declara com veemência que, no meio das tribulações e do cárcere, o Senhor estava com José e estendeu sobre ele a Sua benignidade (Gen 39:21). Tribulações não são sinais de orfandade, não são indicações de que alguém foi abandonado por Deus.  Ao invés disso, durante circunstâncias difíceis muitos se aproximam de Deus e fortalecem a sua fé. O próprio Jesus declara: …Neste mundo tereis aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo (Jo 16:33b). Ele diz ainda: Bem aventurados os que choram, porque serão consolados (Mt 5:4). No meio de nossas lutas e dessa pandemia, guardemos esta palavra no coração: O Senhor está conosco.

FAÇAMOS O NOSSO MELHOR – José estava confinado, distante do que sonhava para si, mas passou a organizar o lugar com afinco (Ler Gen 39:22-23). Creio que esse tempo em que de resguardo em casa é tempo de ordenar o nosso lar, de fortalecer a comunhão, o carinho, o perdão e o amor. Não queríamos estar confinados, mas façamos nosso melhor onde estivermos. Vamos redescobrir a alegria do culto doméstico, de orar e louvar em família, de conversar e brincar juntos.

CONTINUEMOS A SONHAR – José, quando avisou ao copeiro-mor que ele sairia da prisão e seria restaurado ao seu posto, completou: “Porém, lembra-te de mim quando te for bem; e rogo-te que uses comigo de compaixão, e que faças menção de mim a Faraó, e faze-me sair desta casa” (Gen 40:14). Ele sonhava com o fim do confinamento e com um novo tempo de Deus para sua vida. Com todas as dificuldades da situação em que estamos, não vamos nos contaminar com o pessimismo disseminado por alguns nas redes socias;  vamos continuar orando e sonhando com o dia em que poderemos visitar nossos parentes e amigos e nos reunir novamente como Igreja. Eu pretendo abraçar mais de cem pessoas já na primeira reunião. Vamos aproveitar nossas redes sociais para disseminar esperança.

O SENHOR TRANSFORMA O MAL EM BEM – Essas foram as palavras de José para seus irmãos em um momento de restauração de laços familiares ( Ler Gen 50: 20). Vivemos hoje um momento crítico para a humanidade, em que uma pandemia produz graves consequências na saúde e na economia global. Que o Senhor transforme o mal em bem. Que seja um tempo de fortalecimento da comunhão com Deus, de fortalecimento dos laços familiares; que seja um tempo de revisão de conceitos; que possamos enxergar o quanto nos preocupávamos e brigávamos por coisas pequenas e tolas; que relembremos o valor do amor ao próximo e da solidariedade, que os nossos olhos se voltam mais para Deus; que esse tempo difícil sirva para nos lembrar do quanto somos pequenos e frágeis e de como precisamos de Deus. Quando o confinamento acabar, que saiamos diferentes, mais humanos, mais solidários, valorizando mais nossa família, nossos amigos e a nossa comunhão com Deus. Amém.

share

Recommended Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *